Monitorizar o seu negócio:


“O que não pode ser medido não pode ser melhorado”- Peter Drucker

Não podíamos estar mais de acordo com esta afirmação, sobre a importância de termos dados e informação adequados para monitorar e gerir da melhor maneira os nossos negócios.

Infelizmente a maioria dos gestores de CAMV não têm o tempo, os conhecimentos e/ou as ferramentas adequadas para obter esta informação.

Sem saber como está o nosso negócio podemos ter um de dois cenários: Se as coisas correm bem, vão andando e perdemos a oportunidade de estar ainda melhor. Outro cenário é as “coisas” estarem num mau caminho e sem sequer nos apercebermos disso acabarmos por cair no abismo sem sequer termos tido hipótese de emendar os problemas.



Recomendamos que, todos os gestores tenham informação constante a atualizada de pelo menos os seguintes parâmetros:

  • nº de visitas mensal

  • volume de faturação em vendas e serviços prestados ( pelo menos mensal)

  • valor do ticket médio por visita

  • nº de novos clientes mensais

  • nº de clientes inativos (s/visitas há mais de 12 meses)

Se estes parâmetros estiverem num bom caminho, à partida, o negócio também estará; no entanto se ainda quiserem ter ainda mais “mão no seu negócio” devem ter em linha de conta:

  • rácio entre faturação e custos com recursos humanos

  • rácio entre faturação e custos das matérias consumidas e vendidas (vulgo, e em sentido lato,-stock)

  • EBITDA (earnings before interest, taxes, depreciation and amortization)- basicamente reflete a capacidade do negócio gerar dinheiro.


Acreditamos que esta informação é essencial para garantir uma correta gestão dos negócios. Felizmente a maioria dos softwares de gestão actuais permitem obter estes elementos de forma prática e, caso não seja possível obtê-la, podem pedir ajuda ao gabinete de contabilidade que faz a assessoria da empresa.

Só com acesso a esta informação pode ser controlado se o negocio está ou não no bom caminho e que medidas podem ou devem ser tomadas para corrigir algum desvio.

A título de exemplo:

Se o número de novos clientes for alto mas o número de clientes inativos estiver a aumentar constantemente devem ser tomadas medidas que visem a fidelização e número de visitas dos clientes atuais (programas de recordatórios de vacinas e medicina preventiva, programas de medicina geriátrica, etc.). Se, como devia ser prática habitual, houver um orçamento definido para marketing e comunicação com o cliente esta percepção pode levar a uma alocação diferenciada dos recursos. Neste caso os recursos devem ser “desviados” para medidas de fidelização e reativação e menos para a captação de novos clientes.

Se sentir necessidade de recrutar mais algum elemento o rácio entre faturação e custos com recursos humanos deve ser um indicador da viabilidade dessa opção.

Já diz o ditado que “informação é poder” e cada vez mais se requer a obtenção de elementos para o controlo da gestão. Todos os gestores e/ou donos de CAMV deviam ter a maioria destes elementos “na ponta da língua” (ou da mente) e monitorá-los de forma regular.

Na Vetobjectiv podemos ajudá-lo a montar um plano de controlo de gestão e ajudá-lo a interpretar de forma prática a informação obtida, bem como sugerir medidas corretivas a implementar para melhorar os seus resultados.

 

965341822

  • Facebook
  • LinkedIn

©2019 by VetObjectiv. Proudly created with Wix.com